Chaveiro 24h

.

.

Blog do Francisco Evangelista. Tecnologia do Blogger.
segunda-feira, 28 de julho de 2014

UFPE abre vagas para cargos da Carreira do Magistério Superior, com remuneração de até R$ 8.344,64.

A Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) informou que a partir desta quinta-feira, 24 de julho de 2014, recebe inscrições para o concurso público 68/2014, voltado ao provimento de 11 vagas de Professor nos Centros de Tecnologia e Geociências, Artes e Comunicação, Ciências Biológicas, Ciências da Saúde e de Filosofia e Ciências Humanas.

No total são nove oportunidades para a classe de Adjunto, uma para Assistente e uma para Auxiliar, distribuídas entre áreas como as de Geologia/ Geofísica e Neuropediatria.

Como remunerações serão pagas quantias de R$ 2.119,02 a R$ 8.344,64, de acordo com titulação, para jornadas que podem ser de 20h ou de 40h em regime de Dedicação Exclusiva.

A participação é liberada a especialistas, mestres e doutores, desde que realizem inscrição ate 22 de agosto de 2014, de segunda a sexta-feira, nos horários de cada Unidade, mediante apresentação dos documentos solicitados em edital. A taxa é de R$ 200,00.

Todos os participantes serão submetidos a provas escrita, didática ou didático-prática e/ou defesa de memorial e a julgamento de títulos, conforme detalhado em edital.

Clique AQUI para acessar o edital e obter mais informações. PCI

Facape - PE abre três vagas para Professor Temporário na AEVSF

A Autarquia Educacional do Vale do São Francisco (AEVSF), por meio da Faculdade de Ciências Aplicadas e Sociais de Petrolina (Facape), no Estado de Pernambuco, abriu edital de processo seletivo nº 10/2014, destinado ao provimento de 03 cargos de Professor Temporário.

As remunerações por hora/aula podem variar conforme a titulação do profissional, sendo de R$ 60,00 para Especialista, R$ 80,00 para Mestre e R$ 100,00 para Doutor. O contrato de prestação de serviços será de 30 horas, podendo ser prorrogado por igual período através da assinatura de termos aditivos.

As chances são para as áreas de Assessoria de Comunicação Esportiva, Projetos em Assessoria de Comunicação e Novas Tecnologias da Informação e Assessoria de Comunicação e Mídias Sociais.

As inscrições gratuitas serão ate o dia 8 de agosto de 2014, das 15h às 21h, exclusivamente na Secretaria da Coordenação de Pós-graduação, Pesquisa e Extensão da AEVSF/Facape, mediante preenchimento de formulário que deverá ser protocolado na secretaria citada.

Os inscritos serão selecionados em uma etapa constituída de Avaliação Curricular de Títulos. 

Clique AQUI para acessar o edital e obter mais informações. CB

Em atenção a denuncia da Frente Popular, TRE abre investigação contra Armando

A Corregedoria do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PE) abriu uma Ação de Investigação Judicial Eleitoral contra o candidato oposicionista ao Governo, Armando Monteiro Neto (PTB), para verificar se o petebista praticou abuso de poder político, ao manter, no site do Senado Federal, um link para a página oficial de sua campanha. A decisão teve base nas representações protocoladas pelo jurídico da Frente Popular, no último dia 16, questionando a utilização de bens e serviços públicos por parte do senador em sua campanha eleitoral, em desrespeito ao artigo 73 da Lei 9504/97.

Ao identificar a irregularidade, a Frente Popular abriu dois processos contra o petebista. O primeiro, apontando a realização de propaganda irregular, já foi julgado procedente pelo Tribunal, que impôs ao candidato uma multa de R$ 5 mil. O segundo, em andamento, apura a conduta vedada a um agente público. O relator do caso, desembargador Marcelo Navarro, identificou a possibilidade de a utilização do site configurar abuso de poder político por parte de Armando e encaminhou cópia dos autos para o corregedor eleitoral, Janduhy Finizola.

Baseado na documentação, o corregedor abriu a AIJE 1155-70 e notificou a Frente Popular para que encaminhasse à Corregedoria a ação inicial, o que foi feito nesta sexta-feira (25). Após receber a documentação, Finizola notificará o petebista para que apresente sua defesa. Entre as possíveis sanções ao abuso de poder político, estão a cassação do registro de candidatura e inelegibilidade.

"É um fato grave, que não deve ser encarado como algo corriqueiro. A página do senador no site do Senado é um bem público. Colocar o link de campanha equivale ao uso da máquina, de um prédio ou de equipamentos públicos", avalia o coordenador jurídico da Frente, Carlos Neves.

Paulo Câmara inaugurou comitê no fim de semana em Petrolina

O sábado começou cedo para a Frente Popular em Petrolina. Pouco antes das 8h a chapa majoritária chegou à feira da Cohab Massangano, uma das mais populares de toda a região do São Francisco. Os candidatos a governador Paulo Câmara (PSB) e ao Senado, Fernando Bezerra Coelho (PSB), foram para o corpo a corpo com clientes e feirantes. O governador João Lyra Neto (PSB) também participou da caminhada.

O governador João Lyra Neto afirmou que pretende reservar os finais de semana para participar dos eventos da campanha. “Os compromissos são muitos, mas sempre que possível farei questão de estar ao lado de Paulo, Raul e Fernando. Trabalhamos muito para que Pernambuco vivesse este momento e agora temos o compromisso de fazer mais.”

O governador falou ainda na inauguração do comitê da Frente Popular em Petrolina. O evento contou com a presença de Lyra e de muitos candidatos proporcionais. Mais de duas mil pessoas participaram do evento.

João Lyra aproveitou a fala para comentar as recentes pesquisas eleitorais. Ele lembrou que em 2006, no começo da disputa, Eduardo era o terceiro colocado.

“Se perguntarmos ao povo de Pernambuco quem quer manter o trabalho desta gestão, quase 80% vai responder que sim. O único que pode continuar com o nosso governo é Paulo Câmara. Quem quer que Pernambuco avance vota em Paulo Câmara”.

Na inauguração do comitê, Paulo Câmara assumiu o compromisso de construir o Hospital da Mulher em Petrolina e trabalhar para ampliar os projetos de irrigação na região.

“Pernambuco não pode ser um projeto de uma pessoa ou de um pequeno grupo. Pernambuco tem que ser um projeto coletivo, para o bem de todas as pessoas. Vamos fazer com que Pernambuco continue no rumo certo, mas para isto precisamos que vocês nos ajudem em cada rua, em cada casa”, disse Paulo.

Paulo Câmara diz que já visitou quase 150 cidades de todas as regiões.

Prefeito de Petrolina por três vezes, Fernando fez um discurso emocionado, lembrando sua primeira eleição para deputado federal em 1986, ao lado do saudoso governador Miguel Arraes.

“Naquela campanha, como agora, peço a vocês o voto em nossa chapa completa. Paulo é um gestor sério, preparado e vai poder dar continuidade ao trabalho de Eduardo Campos. Quem vota em Fernando, vota em Paulo também”.

Mais de duas mil pessoas escutam propostas de Armando em Araripina

O que era para ser uma inauguração de um comitê de campanha acabou se transformando numa grande festa no Centro de Araripina. Ao lado de Armando Monteiro (PTB), candidato a governador pela coligação Pernambuco Vai Mais Longe, do deputado estadual Raimundo Pimentel (PSB), do senador Humberto Costa (PT) e diversas lideranças políticas do Sertão do Araripe e do Pajeú, a candidata a deputada estadual Socorro Pimentel (PSL) abriu as portas de seu espaço político para receber a população. O ato atraiu mais de duas mil pessoas.

Na ocasião, Socorro Pimentel solicitou diversas providências para os municípios do Sertão do Araripe e do Pajeú. Entre os pleitos, está a construção de hospitais especializados na região, uma unidade do Instituto de Medicina Legal (IML), um campus da Universidade de Pernambuco (UPE), além de um olhar especial para as cadeias produtivas da localidade.

"Quando o senhor chegar ao governo, peço que cuide das pessoas do Araripe e do Pajeú. Um governador só é bom o suficiente quando não apenas constrói obras de cimento e tijolo, mas quando cuida de pessoas de carne e osso. É a esse governador que quero estar junto na Assembleia Legislativa", afirmou a candidata a deputada estadual. Ela também apoiará Joao Paulo para o senado e a reeleição da presidente Dilma Rousseff.

Socorro Pimentel lembrou que, em 2012, Armando Monteiro levou o PTB para o seu palanque, quando disputou a eleição para a Prefeitura de Araripina. "Aquele apoio foi uma semente. Agora, vocês não sabem a felicidade de poder estar apoiando Armando", bradou.

Em sua fala, o deputado estadual Raimundo Pimentel frisou que Armando acompanhou de perto as circunstâncias que o levaram a desistir de disputar a reeleição. "Tenho comigo que para alguns é um grande defeito. Para outros, uma grande virtude, que é não me curvar aos poderosos. De não baixar a minha cabeça aos ditadores de plantão. Eu comecei a cair em desgraça nesse conjunto de forças que apoiamos lá atrás e, infelizmente, desviou o caminhou e abandonou esse projeto que mudou o Brasil e Pernambuco", cravou o socialista.

Com um olhar propositivo, Armando Monteiro afirmou que sua candidatura oferece o compromisso de interiorizar o desenvolvimento social e econômico para todas as regiões de Pernambuco. "O Estado tem que ter a força para inverter essa tendência que tem se traduzido no descompasso inaceitável", ponderou. "Tenho certeza que vamos caminhar juntos para construir um futuro que será melhor para Pernambuco", acrescentou.

Mais apoios - Na passagem por Araripina, Armando também recebeu um importante apoio ao Palácio do Campo das Princesas. Trata-se do médico Aluízio Coelho, do PMDB, que pretendia se candidatar a deputado estadual mas teve a legenda negada pela Frente Popular. O peemedebista, que reside em Araripina há cinco anos, declarou voto fechado em Armando para o governo, João Paulo (PT) para o senado e na reeleição da presidente Dilma (PT). Ele aproveitou o ato para também anunciar que votará em Silvio Costa Filho (PTB) para deputado estadual e em Adalberto Cavalcanti (PTB) para deputado federal.

Ao defender o voto em Armando, a liderança política do Araripe destacou as qualidades do candidato ao governo pela Coligação Pernambuco Vai Mais Longe: "As referências que tenho do senhor são as melhores possíveis. Um homem honrado, que não tem um arranhão na vida pública. Uma pessoa de compromisso e que sem dúvida vai olhar para a região do Araripe, que é totalmente esquecida pelo atual governo", cravou Aluízio. O peemedebista aproveitou a passagem do candidato a governador para solicitar a implantação de um campus da Universidade de Pernambuco (UPE) na região do Araripe
domingo, 27 de julho de 2014

Petrolina deve ganhar novo Matadouro Público

Estudos estão sendo realizados para a instalação de um novo matadouro em Petrolina- construído no interior do município, no distrito de Uruás- e gerido por uma empresa privada. A empresa já realiza análises de viabilidade no local e engenheiros, junto a representantes da Prefeitura de Petrolina, visitam periodicamente as futuras instalações do novo matadouro.

“Está em fase final de ajustes um contrato de concessão temporária do Matadouro de Petrolina com uma empresa do ramo de Feira de Santana e que hoje administra o Frigorífico de Juazeiro, antes ABATAL. Logo, os animais de grande porte passarão a ser abatidos em Juazeiro sem nenhum problema e os de pequeno porte em Petrolina através dessa concessão”, ratifica Otavio Carvalho, secretário executivo de Irrigação.

Ainda de acordo com o secretário executivo, a fase de elaboração do projeto para os boxes, que deverão ser utilizados para comercialização de carnes nas feiras livres da cidade, já foi concluído.

O abate de bovinos, caprinos, suínos e ovinos em Petrolina deve ser realizado até 1 de agosto, a partir desta data o abate de bovinos deverá ser feito na vizinha cidade de Juazeiro, permanecendo no município pernambucano os animais de pequeno porte. A definição foi deliberada em uma reunião realizada em janeiro com a participação de membros da prefeitura, do poder legislativo, Promotoria de Justiça e representantes dos marchantes do matadouro municipal.

Jornal New York Times defende legalização da maconha

O jornal americano The New York Times defendeu no sábado a legalização da maconha, comparando as leis federais contra a maconha com a proibição do álcool que na década de 1920 enriqueceu a máfia.

Em seu editorial, a prestigiada publicação afirmou que, por um lado, as leis anti-maconha prejudicam de maneira desproporcional os jovens negros e, por outro, o vício e a dependência são "problemas relativamente menores" se forem comparados com os gerados pelo álcool e pelo tabaco.

"Os Estados Unidos levaram 13 anos para voltar à sanidade e colocar fim à proibição (de álcool). Treze anos nos quais as pessoas seguiram bebendo, nos quais os cidadãos que respeitavam a lei se tornaram delinquentes e nos quais as organizações criminosas floresceram", indica o texto.

"Passaram-se mais de 40 anos desde que o Congresso aprovou a atual proibição da maconha, que infligiu um dano enorme à sociedade ao proibir uma substância muito menos perigosa que o álcool. O governo federal deve revogar a proibição da maconha", prossegue.

Depois de detalhar que a equipe editorial chegou a esta conclusão após prolongadas discussões, o Times descreveu os custos sociais das leis anti-maconha como enormes.

O jornal citou números do FBI, segundo os quais 658 mil pessoas foram presas por posse de maconha em 2012, um número muito maior que as prisões por cocaína, heroína ou derivados.

Por outro lado, o resultado destas detenções "é racista, porque recai de maneira desproporcional sobre jovens negros, o que arruína suas vidas e cria novas gerações de criminosos profissionais".

Embora apoie a proibição da venda de maconha a menores de 21 anos, o jornal indicou que "o uso moderado de maconha não parece representar um risco para os adultos saudáveis".

O editorial, intitulado "Contra a Proibição, outra vez", marca o início de uma série de histórias sobre este tema e convida os leitores a participar do debate.

Dois estados do país já legalizaram completamente o consumo de maconha com fins recreativos: Colorado (oeste) e Washington (noroeste). Enquanto isso, 23 dos 50 estados dos Estados Unidos, além da capital federal, aprovam o uso de maconha com fins médicos. Exame

Há chance de derrotar o governo agora, diz FHC

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) disse que, há dois anos, não acreditava na possibilidade de uma derrota eleitoral do governo, mas hoje acha possível transformar o "mal-estar" da sociedade em algo que tenha "consequência eleitoral".
 
 Em entrevista à revista IstoÉ, FHC afirmou que o governo tem recursos enormes e exposição permanente e achava muito difícil que houvesse uma mudança. "Hoje existe um mal-estar no País. Isso favorece a oposição. Por isso, acho que temos grandes chances", afirmou.

FHC também apontou a pouca visibilidade da oposição como um obstáculo à mudança. Segundo ele, a oposição feita no Congresso não repercute mais. "Quando eu era senador, meus discursos eram publicados na íntegra nos jornais. Isso não acontece mais. Foi se perdendo o elo do Congresso com a sociedade". Para o ex-presidente, o mesmo ocorreu com outras instituições, como os sindicatos e a União Nacional dos Estudantes (UNE).

Ele disse ainda que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) "sabia manejar o Congresso" - "não da maneira correta, pois o mensalão ninguém pode apoiar" - mas que a atual presidente, Dilma Rousseff, não sabe.

Economia


O tucano também afirmou que o governo petista persistiu no estímulo ao consumo e não olhou para outros lados, como, por exemplo, o desenvolvimento econômico do País. Segundo Fernando Henrique, o governo levou muito tempo para entender que, para reativar o investimento, precisaria ter capital público e privado.

Segundo ele, o PT acredita que se muda o Brasil ocupando o Estado e controlando mais, sobretudo a economia, enquanto o PSDB acredita que é preciso não ocupar o Estado e ter uma "relação maior com a sociedade". Mas, para FHC, há similaridades entre os dois partidos. "Na política monetária, por exemplo, o PT pode ter errado aqui ou ali, mas não mudaram o que vinha sendo feito", afirmou. "O juro não baixou como devia, é verdade. Mas isso é algo técnico. Ninguém está discutindo, na essência, a função do Banco Central."

Petrobras

FHC negou que tenha sido cogitada a privatização da Petrobras durante seu governo. "Queríamos a competição e tirar a influência partidária", disse, citando também o Banco do Brasil e a Caixa Econômica. Para o tucano, Dilma está sofrendo as consequências da gestão Lula na estatal.

Bolsa Família

Fernando Henrique Cardoso disse que todos são a favor da distribuição de renda e outros governos só não fizeram isso porque não tinham como. Ele voltou a dizer que as bolsas (escola e alimentação) surgiram durante seu mandato e afirmou que a política de sustentação do salário mínimo começou no governo de Itamar Franco.

Campanha


FHC diz que Dilma não fala com o País como Lula e defende "simpatia" de candidato tucano à Presidência. "O Aécio pode falar. Jeitão ele tem. Mas precisa dizer alguma coisa que faça ele chegar lá". O ex-presidente disse que a união do partido, os bons palanques regionais e a grande rejeição ao PT em São Paulo aumentam a chance de uma vitória do PSDB. Exame
sábado, 26 de julho de 2014

Eduardo Campos: velha política está com pé na canoa PT-PSDB

O ex-governador de Pernambuco e candidato às eleições presidenciais pelo PSB, Eduardo Campos, voltou a dizer neste sábado, em entrevista coletiva concedida na cidade mineira de Juiz de Fora, que, para mudar o Brasil, é preciso ter coragem para romper com a velha política e construir um novo caminho. "Vamos mostrar que estamos prontos para fazer a mudança política que o Brasil deseja", afirmou Campos, na companhia da vice-presidente da chapa, a ex-senadora Marina Silva, e também do candidato do partido ao governo do Estado de Minas Gerais, Tarcísio Delgado.

Segundo o candidato, a velha política no Brasil está com o pé em duas canoas. "Na canoa do PT, que governa, e na canoa do PSDB, que já governou e governou cercado da velha política." A mesma opinião tem a vice-presidente na chapa. "A quebra da polarização PT-PSDB é o que vai unir o Brasil", afirmou Marina.

Só quebrando essa polarização, segundo Campos, seria possível ter uma nova forma de governabilidade no Brasil. "Fazer a mudança verdadeira, para que o Brasil se reencontre com o desenvolvimento econômico, com a geração de oportunidade de trabalho, de geração de renda, com sustentabilidade", afirmou.

De acordo com Campos, a mudança do modo de governar o Brasil deve envolver a sociedade. "Temos uma crença muito forte de que a mudança será feita pela sociedade." Ele afirmou também que as conquistas do presente serão preservadas, mas para mudar o futuro é preciso melhorar a educação, a saúde, a segurança, garantindo serviço público de qualidade e melhorando as condições de vida da população.

Para tanto, Campos diz que o primeiro eixo é um novo Estado brasileiro e uma "democracia de alta intensidade". "O Brasil só vai equilibrar sua economia e dar conta da agenda se inverter a lógica política que hoje domina Brasília, que é a lógica da política para os políticos, para os partidos, quando cada um se colocar como agente dessa mudança", emendou. Exame

Dilma cria “comitê evangélico” para campanha presidencial

Em 2010 muitos analistas políticos indicaram que a polarização do debate de questões como aborto e casamento gay é que levaram a disputa para o segundo turno. Um dos maiores motivos para isso foi a manifestação pública da CNBB contra as propostas do PT e um grupo de evangélicos, com destaque para Silas Malafaia, que acusava a candidata Dilma de ser favorável a essas questões.

Quatro anos atrás, o comitê de Dilma costurou alianças com vários partidos cuja liderança tinham representatividade junto aos evangélicos. Tempos depois, muitos romperiam com o PT, alegando terem sido traídos. Em especial, o Partido Social Cristão (PSC), por conta da perseguição política contra o deputado pastor Marco Feliciano.

Com os números das pesquisas mostrando um possível segundo turno, a campanha de Dilma procurou criar um “comitê evangélico”, de representatividade questionável. Segundo o jornal O Globo, os nove partidos que lutam pela reeleição da presidente escolheram para fazer parte dos interlocutores com as igrejas evangélicas Marcos Pereira, presidente do PRB, Gilberto Kassab, do PSD, e Eurípedes Júnior do PROS.

Além destes, estavam presentes Aloísio Mercadante, Rui Falcão e Berzoini (PT), Michel Temer (PMDB), Carlos Lupi (PDT), Ciro Nogueira (PP), Luciano Castro (PR) e Renato Rabelo (PCdoB).

O processo teve início quando Pereira, do PRB, partido ligado à IURD, reclamou com Dilma que existe grande resistência dos fiéis à reeleição de Dilma justamente por que o governo petista quebrou sua promessa e de forma extra-oficial tornou legal tanto a união civil de homossexuais quanto o aborto. A presidente vem se justificando que não mudou nenhuma lei com relação aos temas. Agora, além da criação do comitê ela quer se reunir com pastores para esclarecer o caso.

Quando surgiu o Partido da República e Ordem Social (PROS), seus líderes s anunciaram que não fariam parte da bancada evangélica. Contudo, se posicionaria favorável aos “temas evangélicos”, incluindo aborto, eutanásia e a homofobia.

Mas até agora a sigla não mostrou ter influência sobre os evangélicos de modo geral. Já o PRB, cujo principal expoente é Marcelo Crivella, tem apelo apenas junto aos fieis da Igreja Universal. Cerca de um ano atrás, Crivella intermediou um encontro de Dilma com cantoras evangélicas. A decisão foi classificada como “engodo” pelo deputado Marco Feliciano, que acusou Dilma de não ter recebido pastores porque sabia que haveria uma conversa séria, com reivindicações.

O jornalista Julio Severo, colunista do portal Gospel Prime, denunciou recentemente que Gilberto de Carvalho, Secretário-Geral da Presidência, segundo homem mais forte do PT é responsável por “um projeto perigoso que visa transformar o Brasil numa Venezuela ou União Soviética”. Pois ele tem atraído para a defesa de seu partido teólogos como Ariovaldo Ramos e Alexandre Brasil, que inclusive recebe salário de R$ 15 mil do governo petista.

Em 2012 Carvalho anunciou em um encontro do partido que era preciso combater as igrejas evangélicas. Na época, o Senador Magno Malta (PR), da Frente Parlamentar evangélica, chamou Carvalho de “safado” e “mentiroso”. Embora o líder do partido de Malta estivesse nesse encontro com Dilma que busca aproximação com evangélicos, ele já anunciou que não apoiará a reeleição, fazendo campanha para o pastor Everaldo, do PSC.

Por ser pastor, Everaldo é considerado por muitos o único que representa o interesse dos evangélicos e tem conquistado o apoio de vários líderes com representatividade entre os evangélicos, como Silas Malafaia. GospelPrime

Antes de morrer, Suassuna falou sobre sua relação com Deus: “Converso muito com Ele. Todos os dias”





O escritor paraibano Ariano Suassuna faleceu na última quarta-feira, 23 de julho, aos 87 anos, vítima de um acidente vascular cerebral. “Imortal”, como são chamados os membros da Academia Brasileira de Letras, Suassuna deixa uma vasta contribuição com a literatura brasileira.

Antes de morrer, o escritor concedeu uma entrevista ao jornal Correio Braziliense e falou sobre seus diálogos com Deus: “Vergonhosamente, acho que tem mais pedido que agradecimento”, disse à época.

Segundo o escritor, seu caráter foi forjado ao longo do tempo por influência direta do Pai: “Essa personalidade que Deus me deu que me faz interessar muito pelo ser humano”, comentou.

“Converso muito com Deus, todos os dias. E entra muito assunto, muitos pedidos [...] Quando acho que estou incomodando muito, recorro a medianeira de todas as graças, que me acompanha a todo momento e para todo o lugar que vou, levo”, afirmou o católico Suassuna, fazendo referência à virgem Maria.

Demonstrando o caráter de quem se deixa inspirar pelo amor ao próximo descrito na Bíblia, o escritor revelou que para ele, não há porque partir do princípio do ódio se não existe motivo: “O meu primeiro impulso, quando não conheço a pessoa, é gostar da pessoa”, afirmou.

Na conclusão da conversa com a jornalista Vanessa Aquino, Suassuna comentou as perdas de familiares que sofreu ao longo das décadas, mas ressaltou que a riqueza das relações humanas dá sentido e valor inestimável à vida: “Acho a vida um espetáculo maravilhoso, tem momentos muito duros, mas a convivência com o ser humano é muito enriquecedora, muito boa. E, depois, qualquer que seja a dimensão dele, [ainda tenho] o talento que Deus me deu para transformar as coisas em história, seja no teatro ou na literatura”, comemorou.

A morte de Ariano Suassuna acontece logo após a partida de outros dois célebres autores brasileiros: João Ubaldo Ribeiro, falecido no Rio de Janeiro no último dia 18 de julho; e Rubem Alves, ex-pastor presbiteriano, que morreu no dia seguinte, em Campinas (SP). Gospel+
sexta-feira, 25 de julho de 2014

Copa na Rússia deve custar o triplo de torneio no Brasil

Dilma Roussef, Joseph Blatter e Vladimir Putin no encerramento da Copa
No Brasil, o orçamento da Copa ficou em cerca de R$ 26 bilhões. Na Rússia, a previsão atual é de quase R$ 90 bilhões (US$ 40 bilhões), segundo o ministro russo dos Esportes, Vitaly Mutko.

Além dos altos custos, a Rússia enfrenta tensões com outros países e pode sofrer com estádios sem público, racismo e violência no futebol.

Ainda não é possível dizer se as questões políticas - problemas na fronteira com a Ucrânia e a relação de Putin com o Ocidente, que se deteriorou ainda mais após a queda do voo MH17 - terão impacto sobre a realização do torneio.

Mas as insatisfações internas crescem à medida em que os custos aumentam. A previsão de gastos para as 11 cidades-sede já dobrou: antes, era de US$ 19 bilhões (cerca de R$ 42 bilhões).

Críticos também destacam que a capacidade mínima para estádios de Copa do Mundo é de 45 mil lugares, enquanto a média de público do campeonato russo é de 11,5 mil.
 
Exemplo do Brasil

O jornalista russo Igor Rabiner diz que os organizadores russos precisam aprender com o exemplo do Brasil. "Quanto mais confortável é o estádio, mais as pessoas vão aos jogos", diz.

"Mas uma cidade como Saransk (uma das cidades-sede da Copa de 2018, com uma população de 300 mil habitantes) realmente não precisa de uma arena de 40 mil assentos."

Gastos Copas e Olimpíadas

Copa na Rússia 2018: US$ 40 bilhões
Copa no Brasil 2014: US$ 11,6 bilhões**
Sochi 2014: US$ 51 bilhões
Pequim 2008: US$ 43 bilhões
Rio 2016: US$ 14,4 bilhões*
Londres 2012: US$ 13,9 bilhões
Vancouver 2010: US$ 7 bilhões
* Valores de 2009.
** R$ 25,6 bilhões. Câmbio de julho de 2014.

A Copa do Mundo será o segundo grande evento esportivo que Rússia sediará em quatro anos, após os Jogos Olímpicos de Inverno em Sochi neste ano.

Os custos das Olimpíadas de Inverno, sozinhos, superaram os gastos previstos da Copa e das Olimpíadas de 2016 no Brasil. Também foram prometidas melhorias em aeroportos, estações de trem e novos hotéis nas 11 cidades-sede. Espera-se que, como aconteceu com os Jogos Olímpicos de Inverno, os custos sejam pagos por fundos estatais e investidores privados. BBC

Fotos do Blog

Visitantes

Procurar

Top 10 da semana