Temusados

Temusados

Dirija Já

Dirija Já

Chaveiro 24h

Blog do Francisco Evangelista. Tecnologia do Blogger.
quarta-feira, 20 de maio de 2015

Crise hídrica e aumento das taxas de câmbio elevam cesta básica em Petrolina e Juazeiro, segundo Facape

O custo da cesta básica subiu em Petrolina e Juazeiro, seguindo a tendência de grande parte do país, de acordo com o Índice da Cesta Básica (ICB) do mês de abril realizado pelo Colegiado de Economia da Faculdade de Ciências Aplicadas e Sociais de Petrolina (Facape). Em Juazeiro, a inflação foi de 2,45% e em Petrolina, que havia registrado uma queda nos preços no mês de março, foi de 4,19%. Os principais responsáveis pelo aumento nas duas cidades foram o tomate e o pão francês.

Devido à crise hídrica pela qual o país está passando e a redução da temperatura nas regiões produtoras, o tomate teve redução na colheita e, consequentemente, aumento no preço. Segundo o ICB, o produto sofreu uma inflação de 6,61% em Juazeiro e foi ainda maior na cidade vizinha, chegando a 12,36%. Como no Brasil a irrigação é muito utilizada na agricultura, as condições críticas dos reservatórios podem comprometer as próximas safras e elevar ainda mais o preço do tomate.

Outra causa para o aumento dos preços de alguns dos produtos da cesta básica apontada pelo ICB é o aumento das taxas de câmbio (aumento do número de reais necessários para se adquirir a moeda estrangeira). Um exemplo é o caso do pão francês. De acordo com a pesquisa, a principal matéria prima do pão é, em grande parte, importada e a desvalorização do real tem aumentado os custos de importação do produto. Em Petrolina, o pão sofreu uma inflação de 11,26% no último mês, contra 3,92% em Juazeiro.

Mas não foi apenas na importação que as taxas de câmbio afetaram os preços. A desvalorização da moeda nacional possibilitou um aumento na exportação da soja, o que fez subir o custo de produção interna. Consequentemente, o preço do óleo de soja sofreu inflação. Segundo os dados do ICB da Facape, o produto teve elevação de 5,65% e 1,87% em Petrolina e Juazeiro, respectivamente.

Comparação

Segundo a pesquisa, a cesta básica na cidade pernambucana - que está custando R$ 276,85 - é mais cara que em Juazeiro (R$ 264,53), mas ainda é mais barata do que em Aracajú (SE), a capital brasileira com o menor valor da cesta básica, atualmente custando R$ 281,61.

A dica para economizar é substituir mercadorias mais caras por outras mais baratas e tentar comprar em menor quantidade. Outra alternativa é deixar de comprar o produto, forçando assim a redução do preço.

0 Comentários até agora. Qual sua opinião?:

Siga-nos no Google+

Fotos do Blog

Top 10 da semana