Temusados

Temusados

Dirija Já

Dirija Já

Chaveiro 24h

Blog do Francisco Evangelista. Tecnologia do Blogger.
quinta-feira, 23 de junho de 2016

Por que 93 pessoas morreram em dois dias na Índia por causa de raios?

Pelo menos 93 pessoas morreram e mais de 20 ficaram feridas por raios no norte da Índia desde a terça-feira. A maioria das pessoas que morreram estava trabalhando em fazendas durante chuvas torrenciais nos estados de Bihar, Jharkhand, Uttar Pradesh e Madhya Pradesh.

Todos os anos, desde 2005, pelo menos 2 mil vítimas morrem por causa de raios no país, de acordo com o Serviço Nacional de Registros Criminais. Mas o que explica o grande número de incidentes?

Os relâmpagos são comuns na Índia entre junho e setembro, período de chuvas torrenciais de monções - quando o país recebe 80% de sua precipitação anual. Apesar da grande incidência de tempestades, faltam avisos sobre a ocorrência e os perigos da exposição aos raios.

Em países onde há mais alertas, como nos Estados Unidos, há 30 mortes por ano. No Brasil, a quantidade é maior: são, em média, 111 mortes anualmente, segundo estudo do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais.

Além da falta de advertências, outros dois fatores colaboram para o número de casos: o fato de que a maioria da população trabalha a céu aberto e a grande extensão das tempestades de relâmpagos, que se alastram por quilômetros. 

Nos incidentes desta semana, que se concentraram no Estado de Bihar, onde 37 morreram, muitas das vítimas eram mulheres e crianças, segundo a agência de notícias AFP.

O primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, disse que estava "profundamente angustiado" com as mortes.

Um dos feridos no Estado de Rohtas contou a sua experiência a jornalistas: "Quando começou a chover, imediatamente procuramos abrigo. Ele [o relâmpago] nos atingiu lá, e então ficamos inconscientes."

"Não conseguimos entender o que tinha acontecido. Quando recuperei a consciência, percebi que tinha sido atingido por alguma coisa."

Dicas de segurança durante tempestade com relâmpagos

- Procure abrigo dentro de um edifício ou carro

- Evite espaços abertos e colinas expostas

- Se não tiver nenhuma outra alternativa, procure se tornar o menor alvo possível, agachando-se com os pés juntos, mãos nos joelhos e cabeça dobrada

- Não busque abrigo debaixo de árvores altas ou isoladas

- Se estiver na água, nade imediatamente para a borda

Fonte: Sociedade Real para a Prevenção de Acidentes do Reino Unido/BBC

0 Comentários até agora. Qual sua opinião?:

Siga-nos no Google+

Fotos do Blog

Top 10 da semana